Experiências
Bianca de Salve Jorge e a dança oriental

Bianca de Salve Jorge e a dança oriental

Cleo ao estudar para a personagem encontra um universo novo a ser explorado na dança do ventre, que vai além do simples movimento.

Glória Perez sempre busca trazer o que tem de mais real para suas telenovelas. Contar histórias na ficção inspiradas ou baseadas em personagens reais acontece muito em suas obras. Bianca, personagem de Cleo em Salve Jorge (2013) foi inspirada em Clara Sussekind, que trocou o Brasil pela Capadócia e se tornou dançarina de danças orientais no país. Com Bianca acontece semelhante, devido seu romance com Zyah, personagem de Domingos Montagner, ela se muda para um país completamente diferente do seu e lá se descobre como dançarina.

Bianca era uma personagem pra frente, independente e moderna, uma mulher decidida, que se apaixona e vive uma relação mesmo com todos as questões e choque cultural que isso envolve, pois Zyah é da Turquia. Seus conceitos, forma de pensar e agir são diferentes. No entanto, decidida que queria a relação, se muda para Capadócia. Só que as coisas tendem a se complicar.

Cleo como Bianca em Salve Jorge

Aí entra a dança do ventre, Bianca se aproxima das danças orientais e se torna dançarina. No fim da trama os dois não ficam juntos, e ela retorna ao Brasil depois que assume que não se encaixa naquela vida tradicional. Antes da paixão por Zyah, Bianca tem um romance como conquistador Stenio, vivido por Alexandre Nero, ex-marido de Helô, personagem de Giovana Antonelli.

“Bianca tem características fortes e eu procuro sempre alguma coisa que eu possa ter em mim para fazer com que o personagem viva de verdade. Então, a Bianca tem muito de mim. O que não quer dizer que eu seja como ela. Tem muito das minhas qualidades e dos meus defeitos. Ela respeita muito o que sente e gosta de ousar. Eu me sinto muito assim. Eu não respondo a cobranças, delimitações ou ao medo. Eu respondo às minhas superações, aos meus valores e ao que eu sinto, e ao que eu tenho que fazer em algum momento da minha vida. Eu sou um pouco assim”, disse ela ao site oficial da novela das 9 da Globo”.

O estilo Bianca

A personagem levou Cleo a deixar os cabelos loiros. O estilo marcante de se vestir virou modapot todo o país, era fácil ver por aí mulheres de diversas idades com roupas inspiradas nas da personagem. Boho era o estilo, surgido da palavra bohemian, derivada do francês e que no século XV bohème era associado aos ciganos. Interessante essa conexão quando ela muda pra Capadócia. Descolada ela usava maxi colares, chapéus e lenços, sempre com acessórios caprichados. Saias longas compunham seu visual dando um ar prático e moderno ao mesmo tempo.

Além disso, looks de calça jeans e camisetas básicas, incrementados com camisetões apareciam muito. Botas de cano curto, que Cleo adora, eram usadas na personagem. A palheta de cores das roupas de Bianca trocava entre Brasil e Capadócia, dando o tom, e de certa forma externando a transição que ela sofria.

A encontro com dança do ventre

Para se preparar pra novela Cleo foi à Capadócia e teve aulas com Clara Sussekind que indicou Patricia Passo no Brasil para que ela continuasse os estudos. A princípio seriam poucas aulas, no entanto foi tão grande a conexão dela com tudo que a dança do ventre proporcionava que ela acabou praticando por muito tempo.

Daí surge a relação de amizade com Patricia, e o projeto CLEO + Patricia Passo, que pode ser visto toda quarta aqui no site, uma troca sobre a feminilidade, a busca por entendimento na atual conjuntura e muita movimentação, pois tudo isso se dá por meio dos movimentos corporais.

“Alguns projetos me colocam por sorte ou merecimento em contato com pessoas que transformam minha vida. Dos pequenos ajustes do corpo da dança oriental, aos exercícios feitos no chão, ela me levou a colocar em pratica tantas teorias, tantos paradoxos existenciais que eu nem elaborava antes, mas que inconscientemente regiam minhas escolhas na vida”, Cleo.

Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo