Experiências
Cinema Brasileiro

Cinema Brasileiro

Confira 10 filmes que buscam a identidade nacional

O cinema nacional passou por diversas fases até hoje, passando pelo cinema de comédia antigo, com Oscarito, Carmem Miranda, Grande Otelo; pela pornô chanchada, típico cinema brasileiro com lindas mulheres seminuas e roteiros pouco elaborados, priorizando as cenas de soft porn; pelo cinema novo, momento de rompimento, onde se inicia uma nova forma de fazer cinema no país, Terra em Transe de Glauber Rocha é um dos marcos dessa época de renovação e busca de identidade brasileira.

A identidade nacional passa, em especial, pela representação artística e pelas narrativas que nestas estão inseridas. O Cinema é também instrumento de formação de identidade. Algumas obras cinematográficas buscam uma possível identidade nacional brasileira, cada vez mais perdida em meio a projeções pseudo-nacionalistas e conservadorismo entreguista. Muitos podem ficar e fora, mas separamos os 10 que achamos mais interessantes para pontuar essa busca.

1 – Deus e o Diabo na Terra do Sol

Deus e o Diabo na Terra do Sol
Deus e o Diabo na Terra do Sol
Reprodução da Internet

Direção: Glauber Rocha

Manuel (Geraldo Del Rey) é um vaqueiro que se revolta contra a exploração imposta pelo coronel Moraes (Mílton Roda) e acaba matando-o numa briga. Ele passa a ser perseguido por jagunços, o que faz com que fuja com sua esposa Rosa (Yoná Magalhães). O casal se junta aos seguidores do beato Sebastião (Lídio Silva), que promete o fim do sofrimento através do retorno a um catolicismo místico e ritual. Porém ao presenciar a morte de uma criança Rosa mata o beato. Simultaneamente Antônio das Mortes (Maurício do Valle), um matador de aluguel a serviço da Igreja Católica e dos latifundiários da região, extermina os seguidores do beato.

2 – Bye bye Brasil

Bye Bye Brasil
Bye Bye Brasil
Reprodução da Internet

Direção: Cacá Diegues

Salomé (Betty Faria), Lorde Cigano (José Wilker) e Andorinha são três artistas ambulantes que cruzam o país juntamente com a Caravana Rolidei, fazendo espetáculos para o setor mais humilde da população brasileira e que ainda não tem acesso à televisão. A eles se juntam o sanfoneiro Ciço (Fábio Junior) e sua esposa, Dasdô (Zaira Zambelli), com os quais a Caravana cruza a Amazônia até chegar a Brasília.

3 – Quanto Vale ou é por Quilo?

Quanto Vale ou é por Quilo?
Quanto Vale ou é por Quilo?
Reprodução da Internet

Direção: Sergio Bianchi

Uma analogia entre o antigo comércio de escravos e a atual exploração da miséria pelo marketing social, que forma uma solidariedade de fachada. No século XVII um capitão-do-mato captura um escrava fugitiva, que está grávida. Após entregá-la ao seu dono e receber sua recompensa, a escrava aborta o filho que espera. Nos dias atuais uma ONG implanta o projeto Informática na Periferia em uma comunidade carente. Arminda, que trabalha no projeto, descobre que os computadores comprados foram superfaturados e, por causa disto, precisa agora ser eliminada. Candinho, um jovem desempregado cuja esposa está grávida, torna-se matador de aluguel para conseguir dinheiro para sobreviver.

4 – Macunaíma

Macunaíma
Macunaíma
Reprodução da Internet

Direção: Joaquim Pedro Andrade

Macunaíma é um herói preguiçoso, safado e sem nenhum caráter. Ele nasceu na selva e de preto, virou branco. Depois de adulto, deixa o sertão em companhia dos irmãos. Macunaíma vive várias aventuras na cidade, conhecendo e amando guerrilheiras e prostitutas, enfrentando vilões milionários, policiais, personagens de todos os tipos.

5 – O Pagador de Promessas

O Pagador de Promessas
O Pagador de Promessas
Reprodução da Internet

Direção: Anselmo Duarte

Zé do Burro (Leonardo Villar) e sua mulher Rosa (Glória Menezes) vivem em uma pequena propriedade a 42 quilômetros de Salvador. Um dia, o burro de estimação de Zé é atingido por um raio e ele acaba indo a um terreiro de candomblé, onde faz uma promessa a Santa Bárbara para salvar o animal. Com o restabelecimento do bicho, Zé põe-se a cumprir a promessa e doa metade de seu sítio, para depois começar uma caminhada rumo a Salvador, carregando nas costas uma imensa cruz de madeira. Mas a via crucis de Zé ainda se torna mais angustiante ao ver sua mulher se engraçar com o cafetão (Geraldo Del Rey) e ao encontrar a resistência ferrenha do padre Olavo (Dionísio Azevedo) a negar-lhe a entrada em sua igreja, pela razão de Zé haver feito sua promessa em um terreiro de macumba.

6 – Os Deuses e os Mortos

Os Deuses e os Mortos
Os Deuses e os Mortos
Reprodução da Internet

Direção: Ruy Guerra

Sul da Bahia, década de 30. Um homem sem nome e sem passado, sete vezes baleado, intromete-se na luta entre dois clãs de grandes coronéis pela posse da terra e do cacau. É uma luta de interesses econômicos, de produtores e exportadores. Nesse clima tropical dos cacauais e bananais, cresce uma corrida-do-ouro que atrai aventureiros, jagunços, sertanejos fugitivos do sertão, prostitutas, jogadores, circos e ilusões. Os mortos se mostram e se escondem. É uma cultura sanguinária, cruel, fascinante, de ouro, de homens, de deuses e de mortos.

7 – Aquarius

Aquarius
Aquarius
Reprodução da Internet

Direção: Kleber Mendonça Filho

Clara (Sonia Braga) tem 65 anos, é jornalista aposentada, viúva e mãe de três adultos. Ela mora em um apartamento localizado na Av. Boa Viagem, no Recife, onde criou seus filhos e viveu boa parte de sua vida. Interessada em construir um novo prédio no espaço, os responsáveis por uma construtora conseguiram adquirir quase todos os apartamentos do prédio, menos o dela. Por mais que tenha deixado bem claro que não pretende vendê-lo, Clara sofre todo tipo de assédio e ameaça para que mude de ideia.

8 – Orfeu do Carnaval

Orfeu do Carnaval (ou Orfeu Negro)
Orfeu do Carnaval (ou Orfeu Negro)
Reprodução da Internet

Direção: Marcel Camus

No Carnaval Orfeu (Breno Mello), condutor de bonde e sambista que morra no morro, se apaixona por Eurídice (Marpessa Dawn), uma jovem do interior que vem para o Rio de Janeiro fugindo de um estranho fantasiado de Morte (Ademar da Silva). Mas o amor de Orfeu por Eurídice irá despertar o ciúme de sua ex-noiva, Mira (Lourdes de Oliveira).

9 – Cidade de Deus

Cidade de Deus
Cidade de Deus
Reprodução da Internet

Direção: Fernando Meirelles, Kátia Lund

Buscapé (Alexandre Rodrigues) é um jovem pobre, negro e muito sensível, que cresce em um universo de muita violência. Buscapé vive na Cidade de Deus, favela carioca conhecida por ser um dos locais mais violentos da cidade. Amedrontado com a possibilidade de se tornar um bandido, Buscapé acaba sendo salvo de seu destino por causa de seu talento como fotógrafo, o qual permite que siga carreira na profissão. É através de seu olhar atrás da câmera que Buscapé analisa o dia-a-dia da favela onde vive, onde a violência aparenta ser infinita.

10 – Que Horas ela Volta

Que Horas Ela Volta?
Que Horas Ela Volta?
Reprodução da Internet

Direção: Anna Muylaert

A pernambucana Val (Regina Casé) se mudou para São Paulo a fim de dar melhores condições de vida para sua filha Jéssica. Com muito receio, ela deixou a menina no interior de Pernambuco para ser babá de Fabinho, morando integralmente na casa de seus patrões. Treze anos depois, quando o menino (Michel Joelsas) vai prestar vestibular, Jéssica (Camila Márdila) lhe telefona, pedindo ajuda para ir à São Paulo, no intuito de prestar a mesma prova. Os chefes de Val recebem a menina de braços abertos, só que quando ela deixa de seguir certo protocolo, circulando livremente, como não deveria, a situação se complica.

Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo