Como se perder em...
Como se perder em… Punta del Diablo (Uy)

Como se perder em… Punta del Diablo (Uy)

Por: Anelise Fernandes

O balneário fica à 50 km do Chuí (última cidade ao sul do Rio grande do Sul), reza a lenda que o nome se deu em decorrência dos inúmeros naufrágios que ocorriam na região, onde misteriosamente navios piratas naufragavam sem motivo aparente. Hoje em dia, o lugar está mais para coisa de Diós, do que para qualquer outro nombre. Muito devido a beleza, magia e encanto que pairam sob o vilarejo. Em sua origem, é uma vila de pescadores repleta de cabañas coloridas e com nome próprio (lá as casas não tem números e sim nombres, como um ser querido são batizadas pelos proprietários), hoje essa vila é também muito apreciada pelos turistas.

Esta foi a terceira vez que viajo para o lugar, e sempre é maravilhoso de um jeito novo, acontece alguma coisa lá que atrai pessoas de todo canto e em quase todas elas, bate uma vontade de interagir, conversar, hablar um portuñol muito louco… Enfim, viver o agora com toda simplicidade e leveza que habitam a mais plena sensação de felicidade. O lugar conta com três praias: playa de la viuda, playa de los pescadores e playa del rivero, em todas elas a água do oceano atlântico é bem geladinha – cura qualquer ressaca! Rss. Os surfistas adoram, as famílias, os casais, e os solteiros também! Tanto o dia quanto a noite podem ser amplamente desfrutados. Por la noche há alguns bares abertos ao público (não se paga para entrar), destaco o Piratas, lá se pode entrar bebericando sua cerveza e bailar o reggaeton (o som deriva do reggae em espanhol do Panamá, influenciado pelo hip hop, salsa e música eletrônica) e outros ritmos latinos, também toca música brazuca e um dos motivos é porque eles nos amam, sobre isso não há dúvidas! Hahaha. O centrinho é muito charmoso e conta com várias opções de restauras e barzinhos, para saborear aqueles frutos do mar mais fresquinhos e deliciosos tragos.

Nessa trip, fomos eu, minha irmã e uma amiga, alugamos uma cabaña por quatro dias e logo na primeira noite de festa fizemos vários amigos de toda parte, tinha: brasileiro, uruguaio, equatoriano, una chica boliviana e outra australiana. Imaginávamos que passaríamos a virada do ano nós três, mas que nada, essa galera linda nos convidou para passarmos juntos essa data, e não foi nada menos que mágico! Desfrutamos de um asado a moda uruguaia (parrilla) e mais que isso, desfrutamos das trocas entre pessoas que despretensiosamente são solidárias e empáticas umas com as outras, aceitando-nos mutuamente e enriquecendo com as diferenças culturais entre outras.

Essa galera fez um som de muita qualidade, comemos, cantamos, bebemos e brindamos ao novo ano, depois um pulinho na praia para em seguida seguirmos para as festinhas espalhadas pela noite. Só sei que foi lindo e posso dizer que uma das melhores viradas de ano que já vivenciei, comecei 2017 com o coração cheio de coisas lindas, transbordando de gratidão! Todo mundo deveria, ao menos uma vez dar um pulinho lá, e vai ser fácil entender essa energia de Diós!

“Quem não vive agora não vive nunca. O que você está fazendo?” Piet Hein

Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo