Atitude

Empoderamento feminino: Prazer, Nêga Rosa

O Projeto capacita mulheres e valoriza sua identidade auxiliando no desenvolvimento econômico

A Cinequanon Cultural em parceria com o Instituto Hoju lançou projeto apostando na capacitação, empreendedorismo e na valorização da identidade das favelas cariocas. Voltado para o desenvolvimento socioeconômico do gênero feminino e empoderamento das mulheres em situação de vulnerabilidade grave, nasceu o projeto Nêga Rosa. O projeto é dividido em três eixos: capacitação, empreendedorismo e memória, com cursos e ações que visam dar mais oportunidades às mulheres egressas ou cumprindo medida socioeducativa, negras, mães solteiras, com baixa escolaridade e portadoras de necessidades especiais.

Almofadas: empodareamento social das mulheres

A ideia atende cerca de 240 famílias de sete comunidades da região metropolitana: Barreira do Vasco, Chatuba de Mesquita, Jacarezinho, Mangueira, Manguinhos, Parque Arará e Tuiutí, localidades onde a renda per capita é de, em média, até R$ 450 e o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é menor que 7. Dentro do eixo de empreendedorismo, chamado de “Escola de Nêgas Empreendedoras” estão outros projetos como Quitutes da Vovó (de comidas tradicionais das favelas), Coser (ofícios antigos que estão se perdendo no tempo), Indumentária (como confeccionar a roupas dos movimentos folclóricos da minha comunidade) e o Pintando e Bordando (Estamparia e grafismos das capulanas africanas). As memórias viram negócios lucrativos e sustentáveis.

Negâ Rosa: empodareamento social das mulheres

O Negâ Rosa apesar de ter iniciado há pouco tempo já acumula vários prêmios e parcerias, como o de Tecnologia Social da fundação Banco do Brasil, Rio V.I.E.S Moda, 1ª Feira Favela Criativa e ser um dos parceiros o Comitê Olímpico. O Projeto foi um dos 40 vencedores da 1ª Feira Favela Criativa, realizado pelo Secretaria de Estado de Culturas através do Programa Favela Criativa do governo do Estado. O evento ofereceu recursos e capacitação para jovens empreendedores culturais. Ao final, 40 iniciativas foram selecionadas e cada uma receberá R$50 mil, além do selo Favela Criativa, uma marca de que o Nêga Rosa passa contar com apoios técnico e operacional para o seu desenvolvimento.

 

Negâ Rosa: empodareamento social das mulheres

 

Além destas ações o Negâ Rosa foi uma das credenciadas para fornecer materiais para as Olimpíadas Rio 2016. A partir do trabalho de 120 mulheres de baixa escolaridade, 29 delas egressas do sistema penitenciário e 20 portadoras de câncer, o projeto vai fornecer 5,2 mil das 22,7 mil almofadas que os atletas usarão na Vila Olímpica. Fiquemos de olhos na Nêga Rosa, projetos como estes auxiliam no desenvolvimento social e individual que tanto acreditamos.

Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo