Atitude

Multimedalhistas

Os cinco maiores medalhistas brasileiros nos Jogos Paralímpicos Rio 2016

Está cada vez mais próximo o início dos Jogos Paramlímpicos Rio 2016, em 7 de setembro. Nossos atletas têm chances de ganhar medalhas em várias categorias. O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) espera que o Brasil chegue em 5º lugar no quadro de medalhas, com desempenho melhor do que em Londres, em 2012, quando ficou em 7º lugar, com 43 medalhas no total (21 de ouro, 14 de prata e oito de bronze).

A Modalidade em que o Brasil conquistou mais medalhas até hoje é o atletismo, candidato a garantir vários lugares no pódio durante os jogos do Rio e terá papel fundamental para o bom desempenho do país na classificação geral. Na natação, o Brasil também tem tradição de se destacar nos Jogos Paralímpicos. Neste ano, o país terá a maior delegação da história em Jogos Paralímpicos: serão 279 atletas.

Confira um pouco mais sobre cada um dos nossos multimedalhistas.

Daniel Dias

Daniel Dias é paradespostista de natação.

Nascido em Campainhas, em 24 de maio de 1988, Daniel é a maior referência atual da natação brasileira paraolímpica, coleciona 15 medalhas em apenas duas edições dos Jogos, sendo 10 de ouro. Apenas em Londres-2012, quando foi porta-bandeiras da delegação, foram seis medalhas de ouro nas seis provas individuais disputadas, além de cinco recordes quebrados, o que rendeu a ele, pela segunda vez, o título de melhor atleta paraolímpico do mundo. A natação entrou para a vida do paulista apenas aos 16 anos, quando ele assistiu, pela televisão, as conquistas de Clodoaldo Silva em Atenas-2004. Daniel nasceu com má formação dos membros superiores e da perna direita.

Medalhas adquiridas

Jogos Paralímpicos de Pequim 2008

  1. Ouro nos 100m Livre
  2. Ouro nos 200m Livre
  3. Ouro nos 50m Costas
  4. Ouro nos 200m Medley
  5. Prata nos 100m Peito
  6. Prata nos 50m Borboleta
  7. Prata nos 50m Livre
  8. Prata no revezamento 4x50m Medley
  9. Bronze no revezamento 4x50m Livre

Jogos Paralímpicos de Londres 2016

  1. Ouro nos 50m Livre
  2. Ouro nos 100m Livre
  3. Ouro nos 200m Livre
  4. Ouro nos 50m Borboleta
  5. Ouro nos 50m Costas
  6. Ouro nos 100m Peito

Clodoaldo Silva

Clodoaldo Silva paradesportista de natação

Nascido em primeiro de fevereiro de 1979, Clodoaldo Silva, devido à falta de oxigênio durante o parto, teve paralisia cerebral, o que afetou o movimento das pernas e a coordenação motora. Considerado uma das maiores estrelas das Paraolimpíadas de Atenas, quando conquistou seis medalhas de ouro e uma de prata, em oito provas disputadas, o nadador brasileiro chegou a ser comparado ao norte-americano Michael Phelps. Eleito o melhor atleta paraolímpico de 2005 pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC), o atleta coleciona ainda diversas medalhas em Jogos Parapan-Americanos.

Medalhas adquiridas

Jogos Paralímpicos de Sidney 2000

  1. Prata nos 10m Livre
  2. Prata no revezamento 4x50m Livre
  3. Prata no revezamento 4x50m Medley
  4. Bronze nos 50m Livre

Jogos Paralímpicos de Atenas 2004

  1. Ouro nos 50m Livre
  2. Ouro nos 100m Livre
  3. Ouro nos 200m Livre
  4. Ouro nos 150m Medley
  5. Ouro nos 50m Borboleta
  6. Ouro no revezamento 4x50m Medley
  7. Prata no revezamento 4x50m Livre

Jogos Paralímpicos de Pequim 2008

  1. Prata no revezamento 4x50m Medley
  2. Bronze no revezamento 4x50m Livre

André Brasil

Andre Brasil paradesportista de natação

O primeiro contato do carioca André Brasil com a natação foi logo nos primeiros meses de vida, por recomendação médica, após ser diagnosticado com poliomielite. A doença, adquirida por reação vacinal, deixou a perna esquerda mais leve do que a direita. Mesmo pequeno, chegou a ser submetido a uma terapia com choques para estimular a musculatura, além de ter passado por diversas cirurgias. Mas o esporte seguiu como o principal tratamento e se tornou uma paixão. Durante os Jogos Paraolímpicos de Atenas-2004, André foi surpreendido pelas conquistas de Clodoaldo Silva e pelo canadense Benoit Huot, que tinha a mesma deficiência que ele. No ano seguinte, o nadador estreou na natação paraolímpica.

Medalhas adquiridas

Jogos Paralímpicos de Pequim 2008

  1. Ouro nos 100m Borboleta
  2. Ouro nos 50m Livre
  3. Ouro nos 100m Livre
  4. Ouro nos 400m Livre
  5. Prata nos 200m Medley

Jogos Paralímpicos de Londres 2012

  1. Ouro nos 100m Borboleta
  2. Ouro nos 50m Livre
  3. Ouro nos 100m Livre
  4. Prata nos 100m Costas
  5. Prata nos 200m Medley

Terezinha Guilhermina

Terezinha com as suas medalhas de ouro em Londres 2012
Terezinha com as suas medalhas de ouro em Londres-2012 Foto: Patrícia Santos / CPB

A velocista Terezinha Guilhermina nasceu em três de outubro de 1978, em Esmeraldas (MG), com retinose pigmentar, doença congênita que provoca a perda gradual da visão. Quando iniciou a carreira, teve que trocar o atletismo pela natação por não possuir um par de tênis para correr. Em 2000 ganhou os tênis de presente da irmã e voltou a se dedicar às pistas. Bom para o Brasil, já que a mineira conquistou seu primeiro ouro nos 200m em Pequim-2008. Em Londres-2012, Terezinha brilhou no Estádio Olímpico ao vencer as provas dos 100m e dos 200m rasos, colocando-a entre as maiores vencedoras do país no esporte paraolímpico.

Medalhas adquiridas

Jogos Paralímpicos de Atenas 2004

  1. Bronze nos 400m

Jogos Paralímpicos de Pequim 2008

  1. Ouro nos 200m
  2. Prata nos 400m
  3. Bronze nos 100m

Jogos Paralímpicos de Londres 2012

  1. Ouro nos 100m
  2. Ouro nos 200m

Lucas Prado

Lucas Prado é Paradesportista de Atletismo

Lucas Prado nasceu em Poxoréu, Mato Grosso, em 27 de maio de 1985. Perdeu 90% de sua visão em 2002 após um deslocamento de retina. Antes de chegar ao atletismo, o velocista tentou a sorte no futebol de 5 e no Goalball, mas se achou mesmo nas pistas em 2006. Dois anos depois, em Pequim-2008, Lucas fez história ao conquistar uma impressionante trinca de ouros nos 100m, 200m e 400m, tornando-se o cego mais rápido do mundo. Em Londres-2012, Lucas tentou defender os títulos, mas chegou à competição lesionado e bateu na trave duas vezes. Ficou com a medalha de prata nos 100m e nos 400m. Nos 200m, ficou em quarto lugar em uma prova disputadíssima vencida pelo compatriota Felipe Gomes.

Medalhas adquiridas

Jogos Paralímpicos de Pequim 2008

  1. Ouro nos 100m
  2. Ouro nos 200m
  3. Ouro nos 400m

Jogos Paralímpicos de Londres 2012

  1. Prata nos 100m
  2. Prata nos 400m
Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo