Experiências
Sobre mulheres

Sobre mulheres

Listamos 5 filmes e 5 livros que falam do feminino e suas nuances

Semana da mulher, Dia Internacional da Mulher em 8 de março, então selecionamos 5 livros e 5 filmes em que se fala de mulheres, com mulheres e para mulheres. Na arte o feminino vem sendo retratado de diversas formas, e a mulher tem seu espaço cada vez maior. Ainda é necessário mais, sim, faltam mulheres diretoras, faltam mais mulheres produtoras, ainda há poucas escritoras reconhecidas mundialmente se comparadas a quantidade de escritores homens.

5 Livros

1- A paixão segundo GH de Clarisse Lispector

Clarisse Lispector - A Paixão Segundo GH
Reprodução da Internet

Clarice transmite ao leitor as preocupações emocionais da personagem G.H, mulher bem sucedida profissionalmente, porém não conhece sua identidade, portanto, busca o conhecimento interior.

2- As meninas de Lygia Fagundes Telles

Lygia Fagundes Telles - As Meninas
Reprodução da Internet

Traça um paralelo entre a vida de três jovens – Ana Clara, Lia e Lorena – que vivem em um pensionato de freiras em São Paulo durante o período da ditadura militar no Brasil. Com personalidades, histórias de vida e sonhos totalmente diferentes, a história é vista sob a óptica das três personagens. O foco narrativo em 1ª pessoa, desloca-se constantemente para o fluxo de consciência das três amigas, que se entrevistam, que se apresentam umas às outras e ao leitor, que refletem continuamente sobre si mesmas e umas sobre as outras, arrastando-nos nessas frequentes invasões à privacidade.

3- Medéia

Eurípedes - Medéia
Reprodução da Internet

De Eurípedes, Medeia centra-se na vontade de vingança de uma esposa contra o marido infiel. A história passa-se em Corinto algum tempo depois da expedição dos Argonautas comandados por Jasão para reconquistar o Tosão de Ouro, durante a qual ele conheceu Medeia. A peça começa com Medeia enraivecida com Jasão por este se casar com Glauce, filha de Creonte (rei de Corinto). A Ama, ouvindo a angústia de Medeia, teme o que ela poderá fazer a si mesma ou aos seus filhos.

4- Persépolis

Persópolis - Marjane Satrapi
Reprodução da Internet

É uma HQ autobiográfica que discorre sobre a vida de uma garota iraniana e todos os percalços em meio a um ambiente opressor e formado por ideologias conservadoras. Desse modo, temos um belo relato de vida permeado por um contexto histórico riquíssimo e repleto de reflexões.

Através de uma narrativa em primeira pessoa fluida e com toques bem humorados e criativos, adentramos no mundo de Marjane. Desde os 10 anos de idade, ela compartilha conosco o modo de vida, os costumes e a rotina das meninas da sua idade nas escolas iranianas e no cotidiano do lugar. Para tal, ela discorre, por exemplo, sobre o fato dos véus terem se tornado obrigatório nas escolas e como ela e as outras meninas reagiram a essa imposição.

5- Orgulho e Preconceito de Jane Austin

Orgulho e Preconceito - Jane Austen
Reprodução da Internet

A história mostra a maneira com que a personagem Elizabeth Bennet lida com os problemas relacionados à educação, cultura, moral e casamento na sociedade aristocrática do início do século XIX, na Inglaterra. Elizabeth é a segunda de 5 filhas de um proprietário rural na cidade fictícia de Meryton, em Hertfordshire, não muito longe de Londres.
Apesar de a história se ambientar no século XIX, tem exercido fascínio mesmo nos leitores modernos, continuando no topo da lista dos livros preferidos e sob a consideração da crítica literária. O interesse atual é resultado de um grande número de adaptações e até de pretensas imitações dos temas e personagens abordados por Austen.

5 Filmes

1- Nise- O coração da loucura

Nise - O Coração da Loucura
Direção: Roberto Berliner
Foto: Reprodução da Internet

Nos anos 1950, uma psiquiatra contrária aos tratamentos convencionais de esquizofrenia da época é isolada pelos outros médicos. Ela então assume o setor de terapia ocupacional, onde inicia uma nova forma de lidar com os pacientes, pelo amor e a arte. Com Glória Pires no papel título e direção de Roberto Berliner.

2- Tudo sobre minha mãe

Tudo sobre Minha Mãe
Direção: Pedro Almodóvar
Foto: Reprodução da Internet

No dia de seu aniversário, Esteban (Eloy Azorín) ganha de presente da mãe, Manuela (Cecilia Roth), um ingresso para a nova montagem da peça “Um bonde chamado desejo”, estrelada por Huma Rojo (Marisa Paredes). Após o espetáculo, ao tentar pegar um autógrafo de Huma, Esteban é atropelado e morre. Manuela resolve então ir até o pai do menino, que vive em Barcelona, para dar a notícia. No caminho, ela encontra o travesti Agrado (Antonia San Juan), a freira Rosa (Penélope Cruz) e a própria Huma Rojo. Direção de Pedro Almodóvar.

3- As Horas

As Horas
Direção: Stephen Daldry
Foto: Reprodução da Internet

Em três períodos diferentes vivem três mulheres ligadas ao livro “Mrs. Dalloway”. Em 1923 vive Virginia Woolf (Nicole Kidman), autora do livro, que enfrenta uma crise de depressão e idéias de suicídio. Em 1949 vive Laura Brown (Julianne Moore), uma dona de casa grávida que mora em Los Angeles, planeja uma festa de aniversário para o marido e não consegue parar de ler o livro. Nos dias atuais vive Clarissa Vaughn (Meryl Streep), uma editora de livros que vive em Nova York e dá uma festa para Richard (Ed Harris), escritor que fora seu amante no passado e hoje está com Aids e morrendo.

4- Persona

Persona
Direção: Ingmar Bergman
Foto: Reprodução da Internet

Filme sueco de 1966, do gênero drama, escrito e dirigido por Ingmar Bergman. É um filme que retrata de forma bastante reflexiva e complexa as máscaras que o ser humano usa em sua vida, a ponto de não mais reconhecer a sua real face.

5- 8 Mulheres

8 Mulheres
Direção: François Ozon
Foto: Reprodução da Internet

Uma socialite, Gaby (Catherine Deneuve), foi para sua casa de campo para aparentemente passar o Natal com seu marido Marcel (Dominique Lamure), sua mãe (Danielle Darrieux), sua irmã Augustine (Isabelle Huppert) e suas filhas, Suzon (Virginie Ledoyen) e Catherine (Ludivine Sagnier). Logo após sua chegada Louise (Emmanuelle Béart), a nova camareira, acha Marcel com uma faca cravada nas costas. Todas têm motivos para querer sua morte, inclusive Chanel (Firmine Richard), uma cozinheira que está na casa há bastante tempo e a novata Louise. Elas não podem chamar a polícia, pois os fios do telefone foram cortados, e algo fez o mesmo com os fios do carro, para impedir que partissem. Misteriosamente, vindo de carona, chega Pierrette (Fanny Ardant), a cunhada de Gaby, que também tinha seus motivos para matar o irmão. Elas se vêem forçadas a se confrontar, com muitos ressentimentos e verdades vindo à tona enquanto tentam elucidar o que está acontecendo.

Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo