Atitude
Sociedade Viva Cazuza

Sociedade Viva Cazuza

Quem tem um sonho não dança... Há 27 anos em prol de crianças e jovens portadores de HIV

Se Agenor de Miranda Araújo Neto fosse vivo, hoje estaria com quase 60 anos, no entanto, Cazuza, como é reconhecido mundo afora, foi uma das primeira figuras públicas a falecer de problemas decorrentes do vírus HIV no país, na década de 80. No auge da carreira Caju, como era conhecido por amigos íntimos, deixou uma lacuna para os familiares e fãs.

A tragédia fez com que a família criasse a Sociedade Viva Cazuza, em 1990. Maria Lúcia Araújo (Lucinha Araújo) e João Araújo, seus pais, juntos com amigos e médicos, com o intuito de dar apoio aos pacientes com AIDS/HIV, se uniram para dar suporte aos portadores da doença. Cansada de ver várias crianças soropositivas serem abandonadas pelas famílias, Lucinha ela passou a dedicar todo o seu tempo e carinho de mãe que antes exclusivo para o seu único filho Cazuza, já morto pela doença, à meninos e meninas que passaram a viver na casa.

Cazuza brincando com cachorro
reprodução da Internet

Proporcionar assistência e prevenção à aids, possibilitando dar dignidade e qualidade de vida àqueles afetados direta ou indiretamente pelo HIV, principalmente à população carente e/ou com menor acesso a informações corretas sobre os meios de prevenção, diminuindo a mortalidade pela aids, é o foco principal do projeto, mas ele vai além. A Sociedade Viva Cazuza é centrada na Casa de Apoio Pediátrico que mantém crianças e adolescentes entre recém nascidos até jovens de 19 anos de idade. Tentando suprir as necessidades de cada um, e para aqueles com maior tempo de permanência buscam dar possibilidade de fazê-los ter uma vida independente.

Ainda realizam assistência social com o intuito de compreender a dinâmica diária de cada paciente para entender o motivo da falha no tratamento e propor alternativas para melhorar a adesão. São feitos encaminhamentos para serviços jurídicos, dentários, psicológicos e etc. quando requisitados. Os atendimentos são realizados uma vez por mês por um assistente social e agente de saúde com doação de uma cesta básica para cada paciente.

Mãe de Cazuza
reprodução da Internet

Palestras de prevenção e tratamento, assim como campanhas públicas são realizadas pela equipe do projeto. Conscientização por meio das mídias sociais visando atingir o público jovem que segundo o Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde está entre um dos mais vulneráveis para o HIV/Aids. Incrementou o website www.vivacazuza.org.br trazendo informações atualizadas científicas sobre o tema assim como sobre as políticas públicas de saúde, atingindo uma média de 20 mil acessos mensais.

Sociedade Viva Cazuza
reprodução da Internet

Seguindo a letra da canção – “… quem tem um sonho não dança…”, a fundação para seguir em funcionamento, fazendo do sonho realidade, necessita de auxílio para dar continuidade aos trabalhos. As dificuldades são constantes, pois se mantém de direitos autorais provenientes da obra de Cazuza, no entanto os gastos ultrapassam o valor recebido e o auxílio se faz necessário. Para colaborar você pode entrar no site da instituição e contribuir. Pois em tempos difíceis, é necessária uma ideologia para viver, como cantava Cazuza embando os sonhos de uma geração.

Contatos:

Sociedade Viva Cazuza
Rua Pinheiro Machado, 39 – Laranjeiras
Rio de Janeiro RJ
Telefone:+55 21 2553-0444
E-mail: [email protected]

Facebook:@vivacazuza

Instagram: @vivacazuza

Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo