Moda e misticismo

Por mais que pareçam não fazer parte do mesmo universo, a moda e os astros caminham juntos: ambos são formas de nos expressarmos para o mundo. A astrologia, através dos signos e mapa astral, e os estudos esotéricos em geral, no ensina muito sobre nós mesmos. Passamos a compreender cada ponto da nossa personalidade, o que nos possibilita valorizar nossos aspectos positivos e trabalhar os defeitos que todos temos. Parte desse processo reflete diretamente na forma como nos mostramos ao mundo: como vamos nos portar a partir desse conhecimento? Quais aspectos da nossa personalidade queremos destacar? Qual a impressão que queremos passar? A moda entra em auxilio a todas essas questões.

O mundo da moda, para além de marcas, produtos e compra, é um universo que age diretamente em nossa autoestima e em nosso eu interior, pois é através dela que criamos nossa imagem e definimos que marca queremos deixar no mundo. É através do nosso exterior que exportamos o nosso mais profundo ser, e para que façamos isso de forma confortável, a astrologia é uma grande ajuda. Já percebeu como em alguns momentos, por mais que estejamos vestidos de forma “correta” para determinada situação, ainda assim não nos sentimos bem? Isso ocorre porque nossa estética não está alinhada com nossa personalidade. Mas como nivelar esses dois mundos?

A MODA DOS SIGNOS

O zodíaco é uma parte da esfera celeste por onde se movem o Sol, a Lua e todos os outros grandes planetas, e os signos levam o nome das doze constelações que estão nessa linha. O signo de uma pessoa é definindo a partir da posição do Sol no momento do nascimento. Cada um dos 12 signos possui características próprias, e a posição em que se encontram em nosso mapa definem nossa personalidade e a forma como nos entendemos e nos expressamos.

A Cleo, por exemplo, nasceu em 2 de outubro e tem o Sol em Libra. Isso faz com que ela tenha em sua personalidade as características desse signo: possui natureza agradável, amorosa e encantadora, além de trabalhar bem com parcerias e sentir necessidade de companheirismo e troca, pois Libra é signo regido pelo planeta Vênus.

Relembre o mapa astral da Cleo

Na moda, a libriana traz toda a liberdade do signo de ar: a habilidade em combinar diferentes estilos, com influência artística e equilíbrio entre o divertido e o conceitual. É um signo que faz experimentações sem se importar com o que vão pensar. Por ser regida por vênus, também se encanta pelo refinado, simples e sensual. Já o ascendente em Peixes faz com que Cleo mude o estilo de acordo com o emocional: o humor definirá entre o simples e extravagante. E essa sensibilidade aflora o interesse pela moda artística, abstrata e com um quê místico. Na moda, a libriana é uma camaleoa com muito requinte e bom gosto. Confira abaixo algumas combinações que mostram a liberdade do signo de Libra:

Cleo em diferentes looks para diferentes ocasiões. Da esquerda para direita, temos os looks: confortável, moderno, elegante, sexy e gala.
(Reprodução Internet)

Confira abaixo como a moda aparece de acordo com todos os signos do zodíaco:

Áries – É o signo mais impulsivo do zodíaco. Decidida, ágil e animada, a pessoa de Áries tem como principal item de moda a praticidade: peças fáceis de usar, que não a prendam ou exijam muito trabalho. A moda para a ariana é simples, mas cheia de atitude.

Touro – Touro é um signo que opta pelo conforto: peças que vestem bem e cumprem sua função é a primeira opção. Nada de muitos detalhes; vá sempre pelo clássico. Porém, nada desleixado. Touro é regido por Vênus, e faz com que as pessoas desse signo prezem por peças de boa qualidade, que sejam prazerosas de vestir e valorizem sua sensualidade.

Gêmeos – Por ser o signo da comunicação, da troca de informações e até opiniões, as pessoas de gêmeos optam por um estilo que possa se adaptar em diversos ambientes: não quer perder tempo tendo que trocar muito de roupa para cada ocasião. Sua intensa atividade faz com que geminianas sejam pessoas joviais. Roupas alegres e despojadas também chamam sua atenção.

Câncer – A canceriana sente-se confortável no clássico e na feminilidade. Sentimental, a moda para câncer é pura arte e poesia: gosta que seu estilo seja leve, confortável e sereno. Chamar muito a atenção não é sua prioridade na hora de se vestir.

Leão – Querer o centro das atenções é uma característica de leão que muitos não compreendem, mas na moda é fundamental. O que guia a leonina é a inovação, contraste e o high fashion. As leoninas têm como prioridade agradar seus admiradores e o deslumbre do mundo da moda é seu habitat natural.

Virgem – O signo mais impecável do zodíaco. O tradicional, alinhado e estruturado é foco das pessoas virginianas. Peças que possuem uma boa estrutura, tecidos de qualidade e acabamento perfeito agrada este signo. Para virgem, moda não é brincadeira.

Escorpião – O sex appeal é um dos pontos altos das escorpianas. Roupas que destacam as curvas, valorizem a sensualidade, e que sejam extremamente refinadas são as peças que compõem a moda deste signo. O mistério, brincadeira com texturas e transparências são qualidades nas escolhas da escorpiana.

Sagitário – A sagitariana é despojada e divertida, e adora brincar com a moda. Misturar estilos, texturas e culturas são pontos fortes na hora de escolher as peças. É um signo que adora aventuras, e não gosta de se ver preso em um só molde. Para quem é de Sagitário, a moda é um bom espaço para ousadia.

Capricórnio – Regida por Saturno, pessoas de Capricórnio são atraídas pelo tradicional. São pessoas que gostam do controle, e por isso peças impecáveis e de poucos detalhes agradam. Podem expressar muita seriedade, e para isso a dica principal é se permitir abraçar as curvas de seu próprio corpo e brincar um pouco com a moda.

Aquário – Pessoas de aquário tem extrema atração pelo que é inusitado, pelo que instiga e cria curiosidade. O mais inovativo dos signos, aquarianas sempre um passo à frente a aquariana na moda. Assimetria, cores e modernidade são o principal que pessoas de Aquário se identificam em uma tendência. A moda para aquário é um leque de possibilidades.

Peixes – Signo mais sonhador do zodíaco, as piscianas se atraem pela arte, criatividade e romantismo. Roupas leves e divertidas agradam as pessoas desse signo. Cores, transparências e estampas também são detalhes que compõem a moda de Peixes. Para quem é desse signo, a moda está no mesmo universo lúdico dos contos de fada.

Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo

A volta dos 90: Moletom

Moletom é uma peça que praticamente todos têm no armário. Confortável, barato e de fácil acesso, a peça voltou com tudo para as passarelas nesse outono para provar que é possível se vestir bem e brincar com a moda sem precisar ir muito longe do que o próprio guarda-roupa.

A volta dos anos 90 e sua influência grunge na moda é o grande motivo para o trend com o moletom, o jeans, a flanela e outras peças que marcaram a década. A mistura desses tecidos pesados com releitura sofisticada é algo que muitas grifes trazem à tona nos últimos anos e se mantém nesse outono inverno. Essa nova relação com os produtos simples é também reflexo de um movimento que há cerca de 4 anos ganhou espaço no mundo na moda chamado normcore. A tendência é justamente o resgate de peças esportivas e sua inclusão na alta costura. Quase que como uma antimoda, o movimento trouxe um novo olhar, e essas peças saíram das quadras. O boom do moletom, que hoje estampa não só casacos, como bolsas, sapatos e até vestidos, demonstra como o material é versátil.
Já no inverno de 2014 a brasileira Triton trouxe o tecido alinhado à alfaiataria na coleção assinada por Karen Fuke e Igor de Barros. Em 2015 foi a vez da britânica Ashish levar o moletom para as passarelas da London Fashion Week em seu desfile de primavera. Dessa vez junto de muitas estampas e aplicações, ponto forte da marca. E no ano seguinte a Gucci levou para Milão a mescla do tecido com a alta costura e mostrou como esse contraste pode funcionar muito bem. Confira:

Modelos exibindo exemplos de moletom da Triton, Ashish e da Guicci
Foto: Reprodução/Pinterest

Depois das passarelas, a peça tomou as ruas nas mais diferentes misturas. A ideia é ousar para dar um up: com blazer é possível criar um visual refinado sem abrir mão do conforto; hoje também é possível encontrar blazers produzidos no próprio moletom, unindo a estética à praticidade, e os acessórios também são aliados na hora de combinar.

Deixe fluir a criatividade sem medo de transitar entre o que é refinado e o que é considerado esporte. Vamos às dicas.

3 momentos da Cleo usando moletom
Foto Cleo: Acervo

1. No look da Cleo, o contraste se dá na textura das peças: a calça legging junto ao moletom funcionam muito bem e trazem conforto. Por cima, o blazer e a bota de cano longo trazem o refinamento que faz da combinação um conjunto possível para diversos ambientes.
2. A segunda opção é o conforto com a calça de moletom, principal aliada nos dias de inverno. E não há problema nisso!
3. 3. O terceiro look traz a ousadia. A união do blusão de moletom com a bolsa é o maior dos contrastes, que traz sensualidade.

3 momentos da Cleo tirando fotos no espelho do elevador usando moletom
Foto Cleo: Acervo

E na hora da foto no espelho, não tenha receio nas combinações: nos três looks da Cleo, a meia com a bota são o ponto forte. Trazem conforto e refinamento. O moletom quebra a seriedade por ser despojado, mas ainda compõem um belo look quando junto de jaqueta, bolsas e acessórios.

Inspire-se em mais combinações:

Cleo usando moletom
Foto Cleo: Acervo
Blazer, moletom, bota de cano alto e óculos da coleção Monkey in the box + CLEO
Clique e adquira seu óculos da linha Monkey in the Box + CLEO agora
Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo

Moda e afetividade

As novas formas de consumir moda tem proporcionado experiências únicas, e é focado nisso que as marcas vem buscando a troca sensível entre seus produtos e o afeto. Isso mesmo, afeto, as roupas e objetos de moda deixaram de ser somente algo de estilo e passaram a ter importância sentimental. Essa nova onda vem com a nova forma dos consumidores, mais engajados, objetivos no que buscam, prezando por qualidade e responsabilidade social. Essa característica traz ao consumo um novo viés, a do objeto como algo repleto de memória e sentimento, dando o tom simbólico e criando laços pessoais.

Atitudes como o Projeto TROCA AMOR vão de encontro a nova forma de entender e consumir moda.

Marca Soleah parceria com Fabricio Morozini; a afetividade expressa por meio de frases
A afetividade expressa por meio de frases
Marca Soleah em parceria com Felipe Morozini

O consumo consciente onde se compra menos, procura-se mais qualidade e se investe em coisas que tenham um apelo sentimental tá aí, mesmo que muitas pessoas desacreditem desse novo modo de consumir moda. O mundo avança em meio ao caos geral e a construção de novos modelos de organização social influenciam no processo da moda.

Essa tendência de olhar pra moda como uma forma de colecionar bons momentos pode ser vista na campanha de diversas marcas que entenderam o quão importante para as novas gerações de consumidores esse link com o passado. Por isso junto das criações das grandes grifes e comércio de moda popular, vem crescendo a busca por brechós e roupas vintage. A ideia de memória, simbologia de uma época, relação com bons momentos e enlaces afetivos está diretamente ligado às peças antigas, com história, com memória.

Clique e confira alguns brechós incríveis em SP

A troca de objetos afetivos, sejam roupas ou acessórios tem crescido, páginas de troca surgindo diariamente na internet. Muitas vezes aquele objeto que você não quer mais, para o outro é algo simbólico, que trará muito afeto no uso, ou até mesmo durante a troca, dependendo de quem, que história traz, e de onde vem o objeto.

Afeto além da moda

Indo além do universo fashion, a ressignificação da forma de consumir acessa nuances interessantes. Não somente roupas e acessórios, mas também suvenires, objetos afetivos especiais, entram nessa pegada. Cada um traz pra si o que é interessante pra compor seu universo único, pessoal, cheio de afeto e simbologia própria. Esse encontro é intermediado por objetos que ganham status quase mágico, sejam óculos, vestidos, amuletos, objetos decorativos, anéis e muitas outras coisas. Eles simbolizam a união. As grandes marcas entenderam isso e têm trazido essa característica para coleções, seja em bordados, patchworks, roupas casulo, corações, coisas que parecem herdadas ou até mesmo garimpadas.

Imagem da loja à La Garçonne, uma mistura de antiquário com moda
Imagem da loja à La Garçonne, uma mistura de antiquário com moda

Das passarelas para o dia a dia, as casas tomam espaço importante, como um santuário, passasse a dar valor as coisas que seriam descartados, a exemplo de fotos antigas, objetos de uso doméstico, até mesmo utensílios de cozinha. Esses vínculos tendem a crescer como nova característica social, proveniente da nova forma de consumir advinda das gerações atuais, que mais abertos a troca unem ao vínculo familiar a ideia de comunidades unidas em valores e crenças. Isso mesmo com as tecnologias avançadas; a individualização inicia sua perda de espaço para essa “nova forma de afetividade”. Pois o sentimento de se conectar com alguém, com alguma ideia, de estabelecer uma comunicação real é uma das forças mais poderosas entre os seres humanos.

Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo

Jum Nakao e a costura do invisível

A mistura de moda, artes plásticas, design e talento é que leva a arte de Jum Nakao a diversos lugares do mundo. O brasileiro, neto de japoneses, vive em São Paulo e colabora para a moda brasileira se tornar referencia já faz alguns anos. Em 1996, no extinto Phytoervas Fashion e passa a ocupar o cargo de Diretor de Estilo de uma das maiores empresas de moda do Brasil, a ZOOMP, onde permanece por seis anos.

Marisa Monte usa figurino de Jum Nakao no encerramento das Olimpíadas de Londres
Marisa Monte usa figurino de Jum Nakao no encerramento das Olimpíadas de Londres
Reprodução da Internet

Nakao se destaca como um dos maiores exploradores da modelagem no país, utilizando plataformas distintas, e objetos diversos para seus experimentos de formas e volumes. Durante sua carreira tem desfiles icônicos e surpreendentes como o desfile-manifesto “A Costura Invisível”, do São Paulo Fashion Week 2004. Quando criou figurinos inteiros de papel que foram rasgados ao final do desfile, abrindo um universo múltiplo e criativo não só em sua obra, mas para os demais estilistas e estudantes de moda do país a fora.

Obra de Jum Nakao inspirada no universo dos irmãos Quay
Obra de Jum Nakao inspirada no universo dos irmãos Quay
Reprodução da Internet

A arte de Nakao é feita de momentos marcantes, outro que pode ser destacado foi a fusão entre arte, moda e design quando ele se inspirou no Brothers Quay, realizando uma coleção tributo à obra dos irmãos animadores –Stephen e Timothy Quay. A obra deles teve grande destaque na década de 70 por propor uma estética nova aos curtas de animação, com o resgate de técnicas antigas de animação usadas pelas escolas tcheca e inglesa no final do século XIX.

“Precisamos desnudar a nossa alma para revelar a capacidade de sermos leves, sonhar com indizíveis, impossíveis, inexplicáveis, indefiníveis”, afirma Jum Nakao.

Há algum tempo Jum Nakao não vem apresentando coleções nas passarelas do SPFW, mas trabalha a moda em forma de arte-educação em workshops pelo Brasil. A proposta vai além de qualificar os estilistas e costureiros pelo país, busca trazer ferramentas para que as criações sejam cada vez melhores, aprimorando o corte, trazendo senso crítico e juntando com o atual processo da moda, de consumo consciente. Tornando visível costuras outrora invisíveis, alinhavando moda, arte, cultura, cidadania, consciência e transformação.

Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo

A gola alta volta à moda

A origem da gola alta, gola rolê, gola olímpica, turtleneck ou cacharel vem de um lugar pouco improvável. Pra que viveu os anos 80 e 90 com certeza lembra daquelas blusas que a mãe usavam e insistiam pra que usássemos também. A tal blusa de gola alta foi ícone nessa época, e depois ficou com cara de algo não muito legal, até mesmo brega. No entanto ela reaparece volta e meia como tendência de estilo, e com ela algumas mudanças no corte, no uso e principalmente na combinação dos looks, que é o que dá a ela o refresh para voltar como tendência fashion.

Cleo vestindo peça de gola alta na cor preta
Reprodução da Internet

A origem da Gola Rolê

Vinda dos uniformes de operários em fábricas japonesas no período pós-guerra, a gola alta serviu como uniforme por muito tempo, como eles não tinham o que vestir as grandes empresas forneciam a blusa como uniforme e até mesmo como forma de vinculá-los à empresa. Uma curiosidade é que Steve Jobs, nos anos 80 conheceu a estilista Issey Miyake que tinha criado os uniformes dos funcionários da Sony, e pediu que ela criasse algo especial pra ele, mas nesse estilo, gola alta, que se tornou sua marca registrada. Blusa preta de gola alta.

Audrey Hepbrun vestindo peça de gola alta
Reprodução da Internet

A gola rolê, mais alta, como é vista hoje é uma evolução da moda. Cobrir o pescoço devido o frio é uma tendência, principalmente, para regiões da Europa, por serem mais frias em algumas épocas do ano. Ícones do cinema e da música também ajudaram a popularizar, os Beatles, a atriz Audrey Hepburn, Elvis Presley e muitos outros.

Reprodução da Internet

Como usar essa tendência a seu favor

  • Pensar no look e na combinação em que você vai inserir a gola rolê, se você tem busto grande e pescoço curto, aposte em tons escuros com um tom mais claro;
  • Blusas oversized com gola alta ficam bem legais, no entanto foque na blusa e aposte em detalhes e acessórios mais cleans;
  • Quem tem o pescoço mais longo pode usar sem medo, pois fica super bem;
  • Dá pra ser sexy usando gola alta se combinado com saias e transparências;
  • Básico é sempre clássico, gola rolê preta num look monocromático é certíssimo, e você pode fazer um look total, em outras cores também;
  • Pra quem não tem o rosto arredondado fica lindo pôr o cabelo pra dentro da gola da blusa.

No mais aproveita para experimentar as possibilidades que essa peça de roupa pode trazer pra você. Em climas mais frios ela vem com total força pra aquecer e deixar o look mais lindo. Tendência de inverno das grandes marcas e nos desfiles internacionais vale ficar de olho e aproveitar pra se divertir. Dá também, para pegar aquela blusa lá, guardada, ou aquela que sua mãe não usa mais e customizar. Bora criar!

Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo

Tendência de inverno: Mesh

Direto dos anos 90, a segunda pele voltou com tudo como tendência outono/inverno e pode ser vista nos looks das celebridades e fashionistas. Ela dá um toque sexy ao visual e pode ser usada de formas diferentes, seja mais ajustada ao corpo ou utilizando a transparência em blusas mais soltinhas. A transparência chega para complementar outra tendência, que é a Lingerie à mostra. Fora do país essa trend é chamada de Mesh.

Pode ser uma segunda pele total, um detalhe, um recorte em tule, uma blusa mais folgada, com mangas mais largas, quem sabe bufantes. Tudo pode na transparência que se completa com a lingerie, que pode ser de renda, com recortes, ou até mesmo bem minimalista, vai do estilo de cada uma. A Cleo curte transparência e a gente pode ver ela usando essa trend já faz algum tempo.

Cleo usando transparência

Dicas de looks com segunda pele

    • Pode ser usada com calça jeans de cintura alta, e pode ter lavagens diferenciadas;
    • Você pode escolher vários tipos de segunda pele, desde preta, nude, branca até outras cores, basta dar uma garimpada por aí;
    • Vestidos coloridos e estampados vão super bem com segunda pele preta;
    • Combinar a cor da blusa com lingerie deixa o look sofisticado e sexy na medida;
    • Segunda pele com lingerie cai muito bem com jaquetas, seja de couro, jeans ou até mesmo casacos de pelo;
    • A dica mais importante é respeitar seu estilo próprio e brincar com a tendência.
    • Nos exterior as celebridades tem usado, e muito, esse tipo de combinação, confere aí na nossa galeria quais as famosas que tem seguido a tendência.

Detalhe da segunda pele Mesh usada por Cleo Pires, destacando seu colo

Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo

Casa de Criadores comemora 20 anos

Há 20 anos, era idealizada a Casa de Criadores, por André Hidalgo, abrindo espaço para novos estilistas mostrarem seus trabalhos. Nascida no circuito com cara de contra cultura fashion, era anos 90, o boom das universidade de moda, os estilistas passavam a deter mais técnica e as criações dialogavam ainda mais com o mercado e a universalidade proposta pela moda, mas dessa vez agregando conceitos novos como a brasilidade e a exclusividade dos trabalhos. Duas edições da 41 ° Casa de Criadores podem ser esperadas este ano, a primeira está marcada para acontecer entre os dias 8 e 12 de maio, no Espaço Oficina, na Barra Funda em São Paulo, próximo a D-edge. Nela serão apresentadas as apostas para o verão 2017.

Muita coisa mudou no circuito fashion desde o início da casa dos criadores, a forma de produzir moda no Brasil também, e a Casa continuou interagindo com as mudanças do mercado e trazendo inovações. Foram lançados mais de 300 estilistas, e marcas, e também, foram realizados mais de 800 desfiles. Muitos estilistas e modelos famosas como o caso de Gisele Bundchen, já passaram pelo projeto. Ela desfilou em 1997 para Jeziel Moraes, ainda como “New face”.

Gisele Bündchen na primeira edição da casa de criadores, no desfile de Jeziel Moraes | Casa de Criadores comemora 20 anos
Foto: Divulgação Casa de Criadores

Falando em estilistas e marcas dá pra citar muita gente bacana que passou pela Casa de Criadores durante os 20 anos: Marcelo Sommer, Cavalera, Emicida, Ronaldo Fraga, André Lima, Karlla Girotto, Mário Queiroz, Lorenzo Merlino, Fábia Bercsek, Priscila Darolt, Cotton Project, Giselle Nasser, Samuel Cirnansck, Rita Wainer, Juliana Jabour, Icarius, Jeziel Moraes, Walério Araújo, João Pimenta e Gustavo Silvestre, entre várias outras marcas de expressão no cenário da moda nacional.

O poder feminino na passarela

Novos estilistas tem iniciado carreiras promissoras com suas coleções sendo apresentadas no evento. Marcello Martins estilista da MRTNS, marca de beachwear que já está em seu terceiro desfile na Casa de Criadores, começou como stylist da marca de um amigo que participava do projeto, logo já estava com sua própria coleção nas passarelas. “A primeira coleção, foi uma extensão do tema que eu já tinha do meu trabalho de conclusão da universidade, foi sofrido e divertido. Percebi como dava trabalho produzir um desfile, pesquisa de material, de mão de obra, verba, tudo, mas deu super certo no final”, diz Marcello.

Acho que o projeto é interessante pois ele coloca pro mundo o novo olhar da moda e como ele tá há 20 anos no mercado, muita gente do SP Fashion Week acabou saindo de lá. A casa te projeta pra vários lugares, tanto que tem o Be to Be. Se você ganha, vai para as feiras internacionais, eles se preocupam com o estilista, com a marca e auxiliam a impulsionar no mercado. No meu segundo desfile as pessoas começaram a me conhecer. Ajuda muito quem tá começando.

Sobre a coleção criada para a 41° Casa de Criadores Marcello diz ter se inspirado numa espia russa super sexy, que tem que espionar uma pessoa. Com referências que passam por Guy Burdin, Helmut Newton e anos 80.

“Podem esperar um look totalmente 80 com batom vermelho, ombreia, salto alto. Super power, um desfile de empoderamento da mulher. O que é a mulher da MRTNS, leve, elegante e bem forte”, ressalta o estilista.

Cleo Pires em imagem em preto e branco, vestindo MRTNS, Editorial Dark Fetish | Casa de Criadores comemora 20 anos
Cleo Pires de MRTNS, Editorial Dark Fetish – Foto: André Schiliró

Confira o line-up completo abaixo!

8/05 – segunda-feira
Abertura: diegogama / Brechó Replay
Fernando Cozendey
Rober Dognani
Filipe Freire
Cemfreio

9/05 – terça-feira
Också
Felipe Fanaia
Tarcisio Brandão
Weider Silveiro

10/05 – quarta-feira
Projeto Lab: Neriage por Rafaella Caniello, ACRVO, Rocio Canvas, Senplo, Carol Funke e Renata Buzzo
Diego Fávaro
Rafael Caetano
Alex Kazuo

11/05 – quinta-feira
Karin Feller para Di Gaspi
Igor Dadona
Ben
Isaac Silva

12/05 – sexta-feira
Vídeo – Gustavo de Carvalho
Ale Brito
Heloisa Faria
MRTNS
FILA por Der Metropol

20 anos Casa de Criadores – 41ª edição

Data: 08 a 12 de maio/2017
Horários:
18h às 20h30 (Lounge)
20h30 às 22h (Desfiles)
22h às 23h (Lounge)

Local: Oficina Al. Olga, 187 – Barra Funda, São Paulo – SP
(em frente ao clube D-edge)

Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo

O capuz está em alta

O capuz faz parte de várias peças de roupas, como casacos, camisetas, moletons e alguns vestidos e macacões. Ultimamente ele tem sido um dos queridinhos da celebridades, e vem reaparecendo com tudo nos looks dos famosos. Uma das adeptas é Rihanna, ela usa e abusa dos capuzes em seus looks de show e do dia a dia.

Usado, muitas vezes, para esconder-se dos fotógrafos e cliques indesejados o capuz serve principalmente pra proteger do frio. Muitos uniformes escolares vêm com capuz e a moda também bebe disso. Os jovens seguem as tendências e ele caiu nas graças já faz muito tempo.

A pegada urbana continua aí e pode ser vista em vários looks e semanas de moda mundo a fora, com isso o capuz é alçado a hit fashion entre os antenados. Surge como um símbolo de rebeldia, algo cool, ou até mesmo “gangstah”. Mas há de se ter cuidado, pois só ele não significa que o look vai ser sofisticado. Pra dar certo é preciso saber mesclar, combinar e descombinar, se preciso for.

Dá pra combinar um moletom de capuz com um blazer num estilo mais cool, urbano. É possível também, investir numa parte de baixo mais ousada, como uma calça skinny e salto alto. Ou ainda optar por um estilo totalmente fashion com um moletom oversized de capuz com uma bota de cano super alto.

Muitas marcas famosas trouxeram o capuz como ícone fashion para suas criações, a coleção Rihanna pra Puma vem toda trabalhada no capuz, assim como a Chanel e a Fenty. Você pode entrar nessa onde de forma muito simples, pegue um moletom de capuz e mescle-o com peças que já tem, seja uma jaqueta jeans ou um blazer, misture com uma calça de alfaiataria. Experimente, ouse.

Que tal um moletom de capuz com uma calça de vinil e um saltão?

 

Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo

Um outono de cores vibrantes

Entra ano e sai ano e as tendências de cores mudam, o outono/inverno 2017 traz cores fortes e vibrantes como inspiração nas criações dos grandes estilistas nas semanas de moda mundo a fora. Quando pensamos em outono logo vem à cabeça bege, marrom, nudes, até pode ser e tá valendo, pois essas cores e tons nunca saem de moda e deixam o look discreto e chique. Mas esse anos a inspiração vai além, com destaque para o vermelho, amarelo, azul, verde e rosa.

O vermelho surge como renascimento, destaque e vivacidade, em vestidos, saias, malhas, capas, casacos e acessórios. Ela vem para aquecer nas estações mais frias do ano.

Modelo usando vestimenta vermelha | Um outono de cores vibrantes
Reprodução da Internet

O azul, chega com status de novo pretinho básico, em tons mais escuros remontando os uniformes militares. Vestidos de noite e alfaiataria destacam o uso da cor nas criações.

Modelo usando vestimenta em azul | Um outono de cores vibrantes
Reprodução da Internet

O verde Grennery, é cor destaque para o ano e já foi visto no look de várias celebridades e antenados em moda. Todas peças de roupas e acessórios podem ser vistos nessa cor, no outono ela continua emprestando a vivacidade na hora de escolher o que vestir.

Modelo com vestimenta em verde | Um outono de cores vibrantes
Reprodução da Internet

O rosa, ou Quartzo Rosa, continua com sua delicadeza nas próximas estações. Podendo ser visto em peças chave, acessórios ou até mesmo looks all pink. Acessórios como cardigans, echarpes e chapéus nesse conferem um toque especial ao look.

Modelo com vestimenta em rosa | Um outono de cores vibrantes
Reprodução da Internet

E quem disse que não se pode usar um bom amarelo no outono? A ideia de que estações frias combinam somente com cores frias e escuras já não existe mais. Então pode sim usar amarelo pra compor o visual outonal e até mesmo invernal.

Modelo com vestimenta em amarelo | Um outono de cores vibrantes
Reprodução da Internet

As tendências de cores estão aí, o bacana é muitas já estão há algum tempo no nosso guarda-roupa, daí fica mais fácil misturar as peças, as cores e os tons e criar um look inspirado nas tendências com o que tem-se em casa, sem ter que sair correndo atrás de peças nessas cores. A moda tem se democratizado, o lance é ver a tendência e conferir a ela seu toque pessoal. Vamos experimentar?

Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo