Experiências

Terceira edição da Mostra Hífen de Pesquisa-Cena

De 2 a 18 de dezembro, criações, debates e processos que investigam distintos modos de produção em artes da cena

Com curadoria e direção artística de Diogo Liberano, Mostra reúne atores, bailarinos, diretores, dramaturgos e músicos como Bianca Byington, Gregorio Duvivier, Denise Stutz, Viniciús Arneiro, Mallu Galli, Luis Lobianco, Pedro Kosovski e Letícia Novaes. Durante 17 dias, a Mostra vai ocupar um novo espaço cultural da cidade, a Casa Quintal de Artes Cênicas, além do Teatro SESI-Centro e ruas do Centro da cidade.

Diogo Liberano, dramaturgo e diretor artístico da companhia carioca Teatro Inominável, sempre teve um traço característico: o apreço pelo hífen e sua capacidade de simbolizar o encontro entre tudo o que foi separado. Assim, o sinal gráfico se transformou em conceito e nome de batismo da Mostra Hífen de Pesquisa-Cena, projeto bienal que agora chega à sua terceira edição.

Realizada pelo Teatro Inominável, a Mostra promove o encontro de atores, bailarinos, diretores, dramaturgos e músicos, de 2 a 18 de dezembro de 2016, na Casa Quintal de Artes Cênicas, novo espaço cultural da cidade, Teatro SESI-Centro e ruas do Centro do Rio, firmando-se no calendário carioca de mostras e festivais.

O hífen que dá nome à Mostra busca manifestar o caráter indissociável que pode existir entre pesquisa e criação. A cada edição, por meio dele, a curadoria busca promover o encontro entre domínios que julga estarem por demais separados.

Nesta edição, a expressão modos-de-produção se revelou como eixo temático e curatorial da Mostra, depois que Liberano, durante uma conversa com Rafael Faustini (diretor de produção dessa edição), se viu refletindo sobre as complexidades de se produzir no mercado teatral carioca hoje.

“Realizar ‘O Narrador’ me fez perceber e ter certeza que era possível produzir de inúmeras outras maneiras porque se eu fosse esperar por algum patrocínio ou edital para realizar esse trabalho, ele provavelmente jamais teria nascido”, destaca o curador referindo-se à performance, que lhe rendeu indicação aos prêmios Cesgranrio e Shell em 2015, e chamou a atenção pelo modo simples que foi produzida.

Mostra Hífen
Foto: Marcelo Mucida

Intensificando a discussão sobre produção, o preço dos ingressos de toda a programação será escolhido pelo próprio espectador. Seguindo o modelo “pague quanto quiser”, após cada apresentação, será necessário que o público se pergunte sobre o valor da criação assistida, traduzindo suas impressões subjetivas sobre o que assistiu num preço que cabe a ele escolher pagar.

Este ano, a Mostra Hífen apresenta 27 ações artísticas em nove abas da programação: Curto-Circuito, Escrita-Ação, Performance, Pesquisa-Cena, Pós-Pós-Gradução, Processo-Aberto, Produção-Precária, Video-Ensaio e Video-Performance.
Mais informações no site Terceira edição da Mostra Hífen de Pesquisa-Cena.

LISTAGEM DE CADA CRIAÇÃO QUE INTEGRA A PROGRAMAÇÃO

CURTO-CIRCUITO

Mediação de Manoel Friques:
– Curto-Circuito #1, com Diogo Liberano, Alessandro Zoe e Eduardo Julianelli
– Curto-Circuito #2, com Gabriel Pinto e Pedro Kosovski
– Curto-Circuito #3, com Adriana Schneider e Leandro Santanna

ESCRITA-AÇÃO

Com os dramaturgos André Felipe e Gustavo Colombini

PERFORMANCE

– Ações de Eleonora Fabião
– Com Ana Kemper, André Rodrigues, Elilson, Flávia Naves, Gunnar Borges, Mayara Yamada, Miro Spinelli, Natássia Vello e Susana Amaral

PESQUISA-CENA

– O meu dia embaixo d’água – Felipe Rocha
– E de repente uma ossada de baleia emergiu na cidade – Fabiano de Freitas
– NABO ou Uma grande improvisação sobre eu e você – Grupo BARKA
– Cenas pretas – Alexandre de Sena
– Entre ver – Denise Stutz
– Osmarina Pernambuco não consegue esquecer – Keli Freitas

PÓS-PÓS-GRADUÇÃO

– Modos de ler e ser: a poética dos livros ilustrados – Luiza Leite
– Corpo figura – Flávia Naves
– TE CONTEI NÃO?: A glitter revolution Dzi escrita em plumas e sangue – Haroldo André
– O pior ainda não aconteceu – Isabel Penoni

PROCESSO-ABERTO

– Marta, Rosa e João – Malu Galli e Raquel André
– Oculto – Cristina Flores e João Marcelo Iglesias
– Sete anos bons – Bianca Byington e Gregorio Duvivier
– Gisberta – Luis Lobianco
– Sob o amor – Teatro Inominável
– Balneário quando baleia encalha – Rafael Souza-Ribeiro
– Mortos-vivos: uma ex-conferência – Foguetes Maravilha
– Colônia – Viniciús Arneiro, Renato Livera e Gustavo Colombini
– Letícia canta Esse Ano Foi Muito Louco – Letícia Novaes

PRODUÇÃO-PRECÁRIA

– Produção-Precária #1, de Grace Passô para Viniciús Arneiro
– Produção-Precária #2, de Enrique Diaz para uma certa companhia

VIDEO-ENSAIO

Exibição de vídeos-ensaios do festival Atos de Fala:
– O deus no arroz doce, de Enrique Diaz
– Maternidade-escola, de Pablo Assumpção
– Vidas-vestem-ruídos, de Flavia Naves e Sebastian Wiedemann

VIDEO-PERFORMANCE

– #ForaTemer – Rogério Gonçalves
– 3X4 – Tainá Farias
– Dirija-me – Raquel Oliver e Romulo Galvão
– Exercícios para despoluir o amor – Laura Vainer
– Overdose – Bruna Belem
– Sereia – Ana Conceição
– Sobre posição – Nathalia Silva
– Um horizonte de 3,5km – Jaqueline Maria

Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo