Atitude
Todos precisamos falar de FEMINISMO

Todos precisamos falar de FEMINISMO

O assunto precisa ser discutido e desmistificado, entendimento é necessário para que possamos de fato alcançar objetivos

Que vivemos numa sociedade patriarcal e machista isso já sabemos há muito tempo. Social e politicamente a estrutura em que nos inserimos, salvo algumas culturas, é extremamente patriarcal, comanda por homens e para homens. O feminino vem desde sempre sendo posto como algo aquém, a mulher entra como geradora enquanto o homem provedor, podíamos falar isso na época das cavernas, ou no período paleolítico. As coisas vem mudando, os papéis vem se modificando, muitas vezes se invertendo.

As mulheres vem ocupando seu espaço de forma lenta e gradativa, no entanto, de um período para cá o feminismo trouxe um frescor a essa busca gerando novas percepções. Reenquadrar a mulher socialmente a retirando das sombras do homem e pondo-a como ser integrante da sociedade, possível de tomar decisões, gerir grandes empresas, falar por grandes causas, assumir riscos e responsabilidades, tem sido um dos maiores focos.

Seios com mamilos censurados, com a legenda "FREE THE NIPPLE" (liberte o mamilo, em tradução literal) | Todos precisamos falar de FEMINISMO
“Libere o mamilo”, em tradução literal
Reprodução da Internet

Já é possível ter mulheres em cargos de chefia, e em posições de igualdade com os homens. Opa, eu disse igualdade! Isso, mesmo com modificações e maior abertura de espaço para as mulheres, falta muito para que haja igualdade, mesmo que ocupem cargos de chefia ou destaque, receberão menos que os homens, e por muitas vezes, podem não ter tanta colaboração e credibilidade. É preciso queimar muitos sutiãs ainda para que se tenha, de verdade, uma igualdade entre os gêneros.

O feminismo como é visto e praticado hoje tem gerado muitas discussões ótimas sobre essas questões e também grandes quebras de paradigmas. Por mais descontruídos que sejamos, homens e mulheres, ainda está imbuído em nós, em nossa construção social, nosso inconsciente coletivo, o machismo e o patriarcado. Para que possamos desprender dessas velhas máximas é necessário muito embate e debate para que mudanças reais aconteçam.

Se pensarmos na liberdade dos corpos, o homem sai na frente em disparada, já as mulheres são acometidas a regras sociais impostas que não fazem o menor sentido, como: usar saia até determinado idade, senão fica feio; não usar tal roupa, para não chamar a atenção; ser submissa; atenta aos deveres do lar; ou seja, às mulheres são atrelados muitos conceitos machistas. E esse discurso muitas vezes é repetido, sem querer, por mulheres, mesmo sem saberem o motivo, pois é algo que já trazem consigo. Essa desconstrução é necessária.

Mãos pintadas em diferentes tons de rosa, simbolizando o feminismo
Reprodução da Internet

A liberdade do corpo feminino é vigiada, isso precisa parar de acontecer. A partir daí surge a ideia da campanha Free the Nipples na busca pela igualdade de gênero nomeada após o filme Free the Nipples, de Lina Esco (2014), de mesmo nome. A campanha afirma que às mulheres e aos homens deveriam ter a mesma liberdade e proteção em termos legais. O movimento promove a igualdade de gêneros e se opões a objetificação sexual imposta a mulher por meio de seu corpo.

Indo ainda mais a fundo, fora o corpo existe a idade, como se a mulher tivesse um prazo de validade, já o homem quanto mais velho melhor. Em casos onde elas tema mais idade que o parceiro ainda soa estranho, enquanto eles, nada, é normal. Precisamos muito repensar inúmeras coisas, levar as discussões a público, a escolas, debates, é necessário falar sobre feminismo.

Ativista do movimento feminista sendo presa | Todos precisamos falar de FEMINISMO
Reprodução da Internet
Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo