Experiências
Yes! Nós temos biquíni

Yes! Nós temos biquíni

Lilian Pacce conta a história do biquíni em exposição no CCBB Rio

A jornalista de moda e apresentadora Lilian Pacce recentemente lançou o livro Biquiní made in Brazil, com projeto gráfico assinado por Giovanni Bianco. O livro traça a linha do tempo desde a criação do biquíni até os dias de hoje, as diversas formas como foi usado, as modificações ao longo dos anos, seus principais tipos, e como ele marcou a moda mundial. Pra nós é muito simples e nem se percebe, devido ao nosso clima tropical, mas essa peça, aliás, essas duas peças, ao surgir causou muito reboliço. A exposição no CCBB – Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro, Yes! Nós temos biquíni, tem curadoria de Lilian Pacce e pode ser visitada até 10 de julho.

Exposição "Yes! Nós Temos Biquíni", no CCBB Rio
Reprodução da Internet

Sobre a mostra

Yes! Nós temos biquíni apresenta os aspectos sociais e históricos em que essa peça do vestuário se localiza em diversos períodos. Revolucionária e devidamente apropriada pelos brasileiros se tornou símbolo do nosso país. O traje nasceu na França, em 1946, no entanto tem origem há séculos, por meio de tangas marajoaras do período pré-colombiano, no Brasil, e da evolução dos pesados trajes de banho do século 19. Na exposição é possível perceber as mudanças no comportamento feminino, os padrões de beleza e a relação com a arte. A exposição tem uma criação inédita de Nelson Leirner e obras de artistas como Beatriz Milhazes, Leda Catunda e Rochelle Costi. Fotógrafos como: German Lorca, Thomaz Farkas, Bob Wolfenson, Cassio Vasconcellos, Claudio Edinger e Jacques Dequeker, além de trabalhos audiovisuais como os de Katia Maciel e Janaina Tschäpe e, claro, modelos icônicos de moda fazem parte da mostra.

Gisele Bündchen de biquíni
Gisele Bündchen
Reprodução da Internet

Sobre o biquíni

Originado das roupas das antigas roupas de banho, foi criado na França em 1946 pelo estilista francês Louis Réard. Ficou famoso nos anos 50 quando as celebridades, atrizes de cinema americano e pin-ups, começaram a usá-lo. Brigitte Bardot no filme “E Deus criou a mulher”, usou um modelo xadrez Vicky e eternizou a peça no imaginário. No Brasil teve visibilidade por meio das vedetes Carmem Verônica e Norma Tamar. A partir dos anos 60 ele chega as passarelas, com o designer norte-americano Rudi Gernreich, ele deixou de lado a parte superior do biquini fazendo surgir o topless.

Nos anos 70 ficou ainda menos, nos 80 nasceu o asa-delta, seguido do fio dental que passaram a ser os favoritos das mulheres. Depois disso a moda praia entra nos circuitos de moda e toma fôlego, que se estende até os dias de hoje por meio de grandes marcas e estilistas famosos. O surgimentos de peças relacionadas e objetos tornaram a beachwear uma onda que não tem fim. O Brasil é o país que sem dúvida mais produz e consome biquínis, é conhecido e reconhecido internacionalmente, pois tem um estilo mais ousado, tem melhor qualidade e modelos mais criativos, que os diferencia dos outros fabricados produtores.

Leila Diniz exibe gravidez, de biquíni
Leila Diniz
Reprodução da Internet

Aqui no Brasil, principalmente no Rio de Janeiro dos anos 70, ele estava contudo nas areias cariocas, vestindo o corpo de grandes atrizes e modelos. Leila Diniz usou ainda grávida causando comoção geral no país, na época da ditadura. O biquíni causou uma revolução história, uma nova forma de encarar o feminino, o empoderamento das mulheres frente a seus corpos começa a tomar forma para seguir a jornada até os dias atuais.

Yes! Nós temos biquíni
Local: CCBB – Rio
Rua Primeiro de Março, 66 – Rio de Janeiro/RJ. (21) 3808-2020
Data: até 10 de julho
Funcionamento: de quarta a segunda, das 9h às 21h.
Entrada Gratuita.

Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo